Sobre as eleições de Arroio dos Ratos


A votação do candidato José Carlos Azeredo com 3.377 (45,02%) votos superou a do atual prefeito, Luciano Rocha, que somou 2.843 (37,90%) votos, a do candidato Dago, que somou 887 (11,83%) votos e a de Cristiano do Hipertensão, que somou 394 (5,25%) votos. Encerrado o pleito eleitoral que redefiniu os vereadores e o prefeito de Arroio dos Ratos é preciso que se façam algumas reflexões importantes para o retorno do convívio saudável e respeitoso, requisitos fundamentais para uma sociedade democrática.

1) A campanha eleitoral foi marcada por episódios lamentáveis que ganharam grande repercussão na cidade e no estado do Rio Grande do Sul. As filmagens de uma briga generalizada entre simpatizantes do PRTB e da coligação PP-MDB foram divulgadas até em veículos de imprensa televisivos e envergonhou Arroio dos Ratos. Distribuição de panfletos às escondidas durante a madrugada traziam ataques pessoais aos candidatos Azeredo e Luciano. Imagens de liminares falsas acusavam o candidato Dago de estar impedido de participar do pleito. Nas redes sociais ataques aos vereadores de diferentes partidos políticos e agressões homofóbicas ao atual prefeito. Há muito para se evoluir em termos de debate eleitoral em nosso município. Para concorrer a um cargo eletivo atualmente é preciso ter muita coragem.


2) Continua a sina da reeleição em Arroio dos Ratos. Nenhum prefeito conseguiu se reeleger, inclusive o candidato Azeredo recém eleito, sofreu este revés nas urnas durante os seus dois mandatos como prefeito em 2005-2008 (quando perdeu para o candidato José Hélio R. Cifuentes) e em 2013-2016 (quando perdeu para o atual prefeito Luciano Rocha). Há explicação para isso? As reclamações que derrubam os prefeitos são sempre as mesmas: ruas esburacadas e falta de investimentos e empregos na cidade. É claro que outros critérios são fundamentais para uma boa gestão, mas a maioria da população ainda se apega aos buracos de sua rua e a falta de oportunidades.


3) A participação das mulheres na política aumentou. A Câmara de Vereadores de Arroio dos Ratos passou de 1 para 3 cadeiras que serão ocupadas por mulheres. Isso representa um terço do total. Considerando que temos mais de 50% de mulheres na cidade, ainda não chegamos a um ideal. Faço questão de fazer esta referência à qualidade das três mulheres eleitas: prof. Maria Helena (PDT) e as advogadas Cintia Jardim e Neida Lima (ambas do PP), vocês carregam a esperança da equidade em nosso município.


4) Ficará o desafio para o prefeito eleito em administrar um município pequeno, com receitas prejudicadas em função da pandemia de COVID-19 e sem o respaldo de investimentos do governo federal, que apesar do slogan da campanha presidencial ser “Mais Brasil e menos Brasília”, faz questão em criar atritos desnecessários entre os entes federados (estados e municípios) que não são “alinhados” com a política bolsonarista. A partir de 2021, estaremos todos juntos, lutando por Arroio dos Ratos.