Cia de Artes Universo em Dança comemorou seus 20 anos

O grupo que surgiu através de uma iniciativa de estudantes da escola IECPAC, que já dançavam em um CTG no município, e procurou a professora Luisa Demamann, que foi uma das primeiros apoiadoras, visando promover um trabalho diferenciado, com mais liberdade de expressão e até mesmo de vestimentas.





Através dela os idealizadores chegaram aos coreógrafos Luziana Jukoski e o Tinho Almeida, reconhecidos e premiados por todo país. A fundação do Cia de Artes Universo em Dança aconteceu no dia 5 de julho de 2001. E o objetivo inicial, na época foi promover o folclore, em especial o gaúcho e o latino americano, através da dança.


A dupla Tinho e Luziana, já trabalhavam com o folclore de projeção como são conhecidas as coreografias elaboradas com passos mais marcantes e figuração cênica forte, conforme contou Luziana à redação do Meta. O casal foi contratado pela escola, com parceria de alguns empresários.


O primeiro espetáculo do grupo apresentado foi nas comemorações escolares do Dia dos Pais.


Inicialmente o grupo apresentava três quadros coreográficos:


- Quadro Gaúcho: onde até hoje é apresentado como “carro chefe” do grupo a coreografia Rancheira para Dom Carlos, com música de Renato Borguetti (instrumental), que misturava folclore gaúcho e argentino.


- Quadro do Samba;


-Quadro da Dança de Salão: Bolero, Tango.


Naquele mesmo ano o grupo participou do Festival Bento em Dança, na cidade de Bento Gonçalves, um festival de alto nível, onde o Universo em Dança conquistou seu primeiro campeonato de nível estadual, com todas as notas máximas, "para ter uma ideia da qualidade que estava o grupo", contou Luziana.


A partir deste momento o grupo começou a participar de vários festivais de folclore de projeção, sendo campeão também do Porto Alegre em Dança, Festival da Serra Gaúcha, em Canela, Camboriú em Dança, na cidade de Balneário Camboriú em Santa Catarina e o Festival de Folclore de Criciúma, também no estado vizinho, neste o grupo foi campeão três vezes.


O grupo com currículo e reconhecimento foi sendo requisitado para festividades em empresas, e todo o investimento recebido nestas ocasiões eram revertidos em figurinos.


Em seguida vieram mais festivais pelo Brasil, com duas participações e turnês pelo nordeste, e depois os festivais internacionais. Com 20 anos de história, o grupo realizou turnês no Chile, Portugal, Espanha e França.


- A comunidade sempre nos abraçou e ajudou, por que reconhece que o grupo representa o município de Butiá e sua história quando participa de eventos como esse, lembrou Luziana.


Segundo ela, o objetivo atual do grupo é continuar levando o trabalho para outros estados. Como a maioria dos integrantes do grupo iniciou criança, hoje todos estão na idade adulta, e com os filhos já ensaiando os passos para participar do grupo. "Chamamos essa nova geração carinhosamente de Universo Kid’s, para quem sabe um projeto de inclusão dos pequenos", contou.


- Para comemorar o aniversário do grupo, realizamos ensaios fotográficos e um vídeo em dois locais na cidade. Um no Palco de Evento no Centro, onde reunimos todos integrantes e relembramos todas as coreografias, e depois na Igreja Santa Bárbara, pois temos uma coreografia emblemática com uma música do Festival Coxilha Negra, que retrata a história da região, contou.